10 fevereiro 2017           CategoryDestaques, Notícias

Venha Participar da Missa dos Enfermos na Capela das Aparições

No dia em que a Igreja celebra a Memória de Nossa Senhora de Lourdes, comemora-se também o Dia Mundial dos Enfermos. E a Capela das Aparições do Rio prepara uma celebração especial, com benção e Unção dos Enfermos.

Os horários das Missa são: 10h30, 16h30 e 19h

Todos os fiéis, em estado de enfermidade ou velhice, que participarem da Celebração Eucarística neste dia, receberão a Unção dos Enfermos. O Santuário pede que o interessado informe-se, ou seu familiar ou acompanhe enfermo, na Secretaria para cadastro.

O Sacramento da Unção dos Enfermos confere ao cristão uma graça especial para enfrentar as dificuldades próprias de uma doença ou velhice. É conhecido também como o “sagra viático”, porque é o recurso, o “alívio” que leva o cristão para poder suportar com fortaleza e em estado de graça este momento de dor.

O essencial do sacramento consiste em ungir a frente e as mãos do enfermo, acompanhada de uma oração litúrgica realizada pelo sacerdote ou o bispo, únicos ministros que podem administrar este sacramento.

Confira as atividades neste dia na Capela das Aparições

Missas, com Unção dos Enfermo: 10h30, 16h30 e 19h 

Adoração ao Santíssimo Sacramento: 8h às 20h 

Oração do Terço 9h, 15h15 e 18h 

Confissão 9h às 11h30 [e] 16h30 às 18h 

Sobre Nossa Senhora de Lourdes

No dia 11 de fevereiro de 1858, Bernadete Soubirous (1844-1879), menina humilde com apenas 14 anos, vai recolher lenha com sua irmã e uma amiga perto da gruta em Massabielle.

Ouvindo um ruído radiante entre as árvores, levantou os olhos. Viu uma Senhora de rosto radiante, vestida de branco com uma faixa azul, que a saudava inclinando a cabeça. Imediatamente ajoelhou-se e, tirando o rosário do bolso, começou a recitá-lo. A Senhora também tomou o rosário na mão e ficou passando as contas entre os dedos, sem mover os lábios. Não lhe disse nada, mas ao final das cinco dezenas do Terço lhe sorriu e desapareceu. A menina revelou o fato aos pais, que proibiram o retorno à gruta. A mãe se aconselhou com o Padre Pomian, que não lhe deu atenção.

No dia 18 de fevereiro, a Senhora apareceu e sorriu para Bernadete quando esta aspergiu com água benta, em direção à rocha. Falou-lhe: “Quer ter a bondade de vir aqui durante quinze dias? Não lhe prometo a felicidade neste mundo, mas no outro.” No dia 21 de fevereiro, disse: “Você vai pedir a Deus pelos pecadores.” No dia 25, ordenou: “Vá, bebe da fonte e lava-se nela!” Bernadete, cavando a terra, viu a água que jorrava, mas cheia de lama. Entretanto, depois de uma semana, a fonte lançou 121 mil litros d’água cristalina, como ocorre até hoje.

No dia 25 de março, a Senhora reapareceu e pediu para Bernadete se aproximar. Esta lhe disse: “Podes, Senhora, dizer-me, por favor, quem és?” A aparição sorriu e não lhe deu resposta. Bernadete indagou mais duas vezes. Então, a Senhora, juntando as mãos sobre o peito e erguendo os olhos, respondeu: “Eu sou a Imaculada Conceição.” E acrescentou: “Eu quero uma capela construída aqui.” A Senhora sorriu novamente e sem palavras se afastou.

Maria Santíssima quis confirmar, por meio de uma menina pobre e que mal sabia ler e escrever, o dogma proclamado pelo Papa Pio IX. O sorriso da Virgem de Lourdes é uma bênção. Seu sorriso de benevolência, de serenidade e de paz sustenta o peso dos nossos fardos e enxuga os olhos dos que choram. (Autor: Dom Edson Homem, bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio e reitor do Santuário de Fátima).

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

Deixe seu comentário:

*

Seu email não será publicado.

© 2014 Tarde com Maria